11 de junho de 2010

Outro rumo




A maré alta molhava nossos pés descalços. Os meus tremiam de ansiedade e desconforto. Os de Leo apenas balançavam ao som da música que ouvia em seu IPod. Pelo pouco que podia ouvir, quem cantava era John Lennon. 
  - Quando ela vem, Leo? 
  - Daqui a pouco, eu prometo. - lançou-me um sorriso encorajador. - Quer repassar o plano? 
  - É sempre bom. - pigarreei, nervosa - Ela vai chegar. Eu te dou um selinho e digo que vou comprar sorvete. Nisso você fica falando de mim até ela dar um ataque. Daí você fala que é ela que você ama de verdade. Fim.
  - Perfeito! - bateu palmas exageradas. - Só uma coisa...
  - O quê?
  - Tenta tremer menos na hora. - debochou - Aliás, por que está tão nervosa?
  - Não sou boa atriz.
  - Mas é minha melhor amiga e sei que pode fazer isso por mim. Vai... Por favor? 
  - Tudo bem. - concordei, com um suspiro resignado. 
  - Eu te amo, Kay! 
    Em seus braços fortes eu quase acreditava nele. E quando sua boca encontrou a minha, acreditei por completo. Um beijo rápido e afobado. 
  - Por que fez isso? - perguntei, ofegando. 
  - Tenho que ser convincente. - seus olhos se desviaram para a moça alta e magra que vinha em nossa direção. A ex-namorada dele e a vítima do nosso plano. Respirei fundo e me preparei para a atuação. - Calma Kay... - ele sussurrou, apertando a minha mão. 
  - Oi, amores - nos cumprimentou secamente, enquanto tirava o cabelo comprido do rosto. - Como vão vocês?
  - Bem, obrigada. - respondi, pouco à vontade - Já volto, amor. - disse, beijando de leve os lábios de Leo - Vou comprar um sorvete. 
  - Não vai, não. - me prendeu pela mão - Meredith, essa aqui é Kayla, minha namorada. 
  - No-nossa! - vi seu queixo cair de surpresa e indignação. Era como se ela já soubesse do plano inicial e tivesse se surpreendido com o rumo que tomou. - Então os amiguinhos se tornaram pombinhos? Que meigo... 
    Ela sorriu em toda sua falsidade, arrancando um riso zombeteiro de Leo. 
  - Irônico, não? - arqueei uma sobrancelha e sorri maliciosamente.
  - Não. É ridículo. 
    Meredith deu as costas e caminhou em direção à esquina da Herdlock com a Brighthere, sumindo após uma empinada de bumbum. 
    Ficamos calados por um bom tempo, envergonhados demais para falar. 
    Até que, não resistindo, perguntei:
  - O que foi isso? 
  - Acho que gostei mais do que devia de te beijar. 
  - Ah. - murmurei, assentindo e pegando sua mão. 
    Ali, éramos um retrato perfeito de dois amigos sentados conversando na beira do mar
    Ou mais que amigos. 
___________________________________

Pauta para a edição musical do projeto Bloínquês (eu e você - catch side)
_________________________________
Desculpem-me se a história soou muito clichê, ou muito melosa, fiz o que pude.
Mesmo assim, espero que gostem :)



2 comentários:

@juusep disse...

É bom! Você tem criatividade, mas eu não entendi nada esse negócio de Cliff :SS

♥ Garota ♥ disse...

Nem eu :)
A história me veio na cabeça e eu escrevi, mas não pra fazer sentido nenhum. Eu só postei para a participação, porque o tema bateu.
Depoois eu conserto ela, tá?
Beijos