19 de julho de 2010

É gol!

As tardes de domingo aqui em casa são bem... interessantes. Principalmente quando tem jogo do Brasil, não interessa se da Copa ou não. Basta anunciar na televisão e já começa a organização: Cervejas, petiscos, televisão no último volume e muita gritaria. 
     Acontece, que no último domingo que teve jogo, eu - a besta quadrada - inventei de comprar uma vuvuzela! É óbvio que minha mãe armou uma tromba, né? Tudo bem, comprei uma vuvuzela verde, um apito daqueles bem irritantes e uma corneta amarela inofensiva, se comparada ao resto. 
     Quando já era lá pelas três da tarde, todos nós - eu, vovó, vovô e mamãe - fomos para sala que fica no primeiro andar. Ela tem dois sofás azuis, uma mesa de vidro e sete cadeiras e ainda duas janelas e uma porta que dão para o jardim. Vovô foi logo se esparramando no sofá maior. Mamãe, escolheu, por sua vez, o menor, que acabou dividindo com vovó. E eu, sob os protestos da minha mãe, decidi sentar na beirada da maior janela que já estava aberta. Cruzei as pernas e coloquei meus objetos de comemoração no colo. 
     O jogo começou trinta minutos depois. 
     Depois de alguns minutos de tensão, disputa de bola e xingamentos, finalmente saiu o primeiro gol do Brasil. E eu, claro, resolvi dar uma de metida. Fiquei ajoelhada na janela com a vuvuzela na mão e comecei a comemorar como uma louca, pulando sobre os joelhos e gritando igual ao Galvão Bueno (sem exageros). Só não contava com o fato de que mamãe tivesse encerado a janela...
     Já dá para adivinhar o que aconteceu, certo? Meus joelhos escorregaram de um lado para o outro até que eu caísse de cara na terra do jardim que tinha em frente  à janela. Sorte que era terra, e não cimento. Porque, provavelmente ainda vou querer meus dentes por um bom tempo. 
     Nunca imaginei que diria isso, mas: Eu engoli terra, literalmente! Quando me sentei - não sei como fiz isso, já que mamãe disse que havia uma grande chance de eu ter me arrebentado toda - vi minha blusa nova toda esfolada e suja, e minha calça de moletom com um rasgo de vinte centímetros, bem na parte do bumbum. 
    E, como se não bastasse, um grupo de criança que comemorava o gol na rua, começou a olhar pra mim, apontar e rir sem parar. 
    É... a partir dali, eu definitivamente tive uma razão para odiar vuvuzelas!


Notas da autora: Nem que me paguem eu vou contar com quem aconteceu isso!

Primeiro lugar - Blogueando *---*

2 comentários:

Italo Stauffenberg disse...

Meeeeeeeldeeeeeels.

#EuRi

Queri ter vivido algo pra que eu pudesse falar mas não me lembro de algo bizarro!

^^

Nina Auras. ♥ disse...

ADORO tardes de domingo, HEOHOE *-* Parabéns pelo Blogueando, você mereceu. Saudades suas, tempos que não te vejo )):

xoxo :*