4 de julho de 2010

Show me the way

   "Ser ou não ser, eis a questão..."
   Já me fizeram essa pergunta várias vezes. E em nenhuma delas eu soube responder. Ultimamente não dou muitas respostas. De mim só saem monossílabos e acenos de cabeça. 
   Como uma máquina programada para mentir, fingir e enganar. 
   Mas, agora, só me resta essa rua fria e molhada pela qual caminho, sem um rumo certo. E, apesar de tudo, ainda pareço inabalável, com uma sombrinha e um cigarro na mão esquerda , uma garrafa de vodka na direita e muitas outras idiotices na cabeça. 
   Por acaso algum dia isso foi um exemplo de vida? 
   Para mim, foi. Nasci numa época em que tudo era sexo, drogas e rock and roll e ter uma tatuagem horrenda pelo corpo era moda. Já tive um namorado rockeiro, cheio de piercings na língua e em mais dezessete partes do corpo. Foi ele quem me apresentou o álcool, a cocaína e também, o sexo. 
    Porém, não posso dizer que me tornei quem sou, por amor a Jack. Eu me obriguei a isso, tentando convencer a mim mesma de que tudo seria mais bonito se eu estivesse dopada, grogue, bêbada. Eu estava errada, claro. 
    Sempre estou. 
    Vejo Jack no final da rua, conversando com uma prostituta de esquina. Ela também tem piercings, tatuagens e um batom vermelho-sangue nos lábios. Uma calça preta colada e um top cobrem seu corpo surrado e cheio de hematomas. 
    Talvez em outros tempos, há uns meses atrás, eu estivesse ali, abraçando aquele poste, esmolando simples cinquenta reais em troca do meu corpo. Porque, por esse idiota, eu perdi família, emprego, amigos... perdi tudo. 
    Relembrar minha burrada não vai me fazer me sentir melhor. Então, simplesmente quebro a garrafa de vodka na parede, piso no meu cigarro e continuo andando sem rumo, procurando um destino.
    De preferência, um que eu não conheça.

2° Lugar - Blogueando *-*

6 comentários:

Italo Stauffenberg disse...

Passando par deixar um abraço. Depois que fizer a minha pauta pra Sílaba Eu volto e leio!

Abraços....

Talitha disse...

Nossa que coisa
Isso é uma coisa pra se pensar, as vezes uma pessoa pode mudar sua vida de um jeito que da ate medo de olhar pra tras e ver o que você já tece coragem de fazer. Já vi isso e não é nem um pouco legal.
Kiss...

Alessandra Alves disse...

Adorei seu texto, boa sorte lá no sílaba tônica.

Podolski disse...

Realmente, fiquei reflexivo ao ler esse post. É o que acontece com as jovens de hoje. Sinceramente, parabéns pelo texto. Beeeijos ;*

@juusep disse...

Very, very Cute!

Rene Santos disse...

Barbaridade, alucinante, maravilhoso garota.
Parabéns pelo pódio merecidíssimo.
Beijos