6 de outubro de 2010

Send It On - Parte III

   Se tem uma verdade, é a de que o mundo dá voltas. 
   E nelas, a gente sempre se encontra de novo. 
   Respirei fundo, encontrando voz para responder. Do outro lado da linha, um suspiro impaciente me deixava ainda mais nervosa. E eu ainda precisava encontrar uma resposta. Pensa, Yasmin, pensa...
   - Oi, Jared...
   - Yasmin?! - gritou, incrédulo - Meu Deus, quanto tempo! 
   - Pois é. - minha pele pegava fogo. - Er... será que a gente pode conversar um pouco? 
   - Claro. 
   - Prometo não demorar. 
   Expliquei a ele tudo de trás para frente, com as letras de cabeça para baixo. E, ao contrário do que eu esperava, ele não me repreendeu. Tudo o que fez foi dizer que entendia e que faria tudo o que pudesse para ajudar. Por último, me perguntou quem me dera seu telefone. Quando disse o nome de Ian, ele gemeu, bufou e disse que precisava desligar. 
    E desligou. 
    Senhor do céu, como eu tinha me metido nessa? 
    Há mais ou menos seis anos, eu e Jared estudamos juntos. Éramos melhores amigos, contávamos um com o outro para tudo. Isso até eu perceber que Jared não era meu melhor amigo. Quer dizer, era, mas não queria ser. Foi então que eu descobri que uma grande amizade pode virar um grande amor, mas um amor nunca volta a ser simplesmente amizade.
    Cortamos contado logo depois que disse que não estava mais apaixonada por ele. 
    E agora, Ian... 
    Como os dois se conheciam?
    Eu precisava de respostas, e muitas. E só quem podia dá-las era Ian. Corri para casa, rezando para chegar a meu quarto. Era sábado, duas e meia da tarde. Isso queria dizer que ele estava no msn, me esperando. 
    Abri as portas sem enxergar as maçanetas e me joguei na cadeira, ligando o estabilizador. Assim que a tela ficou azul, abri o msn e digitei senha e usuário. Tamborilei os dedos na mesa enquanto os contatos apareciam. 
     A janela de Ian logo piscou:
     "E aí, como foi?" - ele perguntou
     "Ainda não sei direito"
     "Como assim?"
     "De onde você conhece o Jared, Ian?" 
     "Do Espírito Santo, por quê?"
     "Há quanto tempo conhece ele?"
     "Muito, muito tempo"
     "O que ele é seu?"
     "Primo. Por quê?" 
     "Sinto que temos muitos problemas pela frente, porque..." - parei os dedos no ar, hesitando - "Porque nós namoramos" 
      Não houveram respostas. 
      Eu o tinha perdido de vez.



Notas da autora 
Gente, eu viajei de vez. Se a história tinha algum sentido até agora, o perdeu totalmente. KKKK'. Mas tenham paciência comigo, ando meio estranha esses dias. Sabe? Bloqueada, cansada, irritada. Coisas de aborrecente (né, mãe?) 
E desculpem o tamanho do post, mas a conversa do msn torna tudo muuuuuito maior ;)
  

Um comentário:

Italo Stauffenberg disse...

hahaha, estava fazendo um conto? prolongado? Não sabia!

Morro de vontade de fazer mas tenho medo de me perder! Quando tiver mais tempo eu volto e leio o resto!

Abraço.