28 de outubro de 2010

When I Look At You

2° Lugar - Bloínquês (Edição Visual)

- Você mentiu, seu idiota!
     Monique berrou, começando a correr na direção contrária. O sol escaldante dificultava sua respiração e seus pensamentos, transformando -os em flashbacks confusos. Mas ela ainda tinha certeza das últimas palavras de Jake, assim como de sua mentira. 
     E ela ainda não conseguia acreditar. 
     - Ei, espera, Nique! - ele berrou, tentando conter a fúria dela. - Não vai assim! Conversa comigo, por favor... 
     - NÃO! 
     - Mas, eu não sou como você pensa, - insistiu, agora com um tom desesperado em sua voz. - eu te amo! 
     - É mesmo? - devolveu, com o olhar enfurecido - Bom pra você! 
     Não adiantava, qualquer esforço que ele fizesse seria em vão. Ela estava irredutível. 
     Ela era assim. 
     Monique não era uma garota comum - disso Jake sabia bem até demais. Seus sentimentos eram instáveis, seus sorrisos tinham múltiplos sentidos e suas palavras muitas vezes não soavam agradáveis. Ele tinha aceitado tudo isso no momento em que se viu apaixonado por ela. Conseguia aceitar tudo, menos perdê-la. Isso era inadmissível. 
     - Eu menti, eu sei! - berrou -, mas você não vai me deixar assim!
     - É mesmo?! E por quê?
     Jake não respondeu com palavras. Em vez disso respirou fundo e caminhou em sua direção. Monique ofegava pela correria e pelo cansaço. Vinha fugindo da realidade desde que ele lhe contara a verdade sobre o acidente. O acidente que quase matara os dois. 
     Lembrava-se de cada palavra, desde o "A culpa foi minha", até o "Sinto muito". 
     Jake sabia que o freio estava estragado. Sabia que podia morrer, e ainda assim carregou os dois para aquela loucura. Viajar sem freios pelo meio da floresta! Além disso, admitiu estar drogado, entupido de cocaína, cheirando a álcool e exalando perigo. Mas o que mais a irritava, era que ela foi com ele assim mesmo. 
     Arriscou sua vida por ele. 
     Ele continuava andando. Cada vez chegava mais perto dela - uma menina trêmula, arisca e furiosa. Monique estava vermelha - só não sabia se de raiva ou de vergonha. Talvez os dois - Jake não queria pensar naquele momento. O que iria fazer, provavelmente a irritaria ainda mais. Mas ele faria mesmo assim. 
     Agarrou-a sem explicações e começou a carregá-la, ignorando seus chutes e xingamentos. Parou à beira de um lago, tirou os chinelos e jogou-se lá dentro. Os dois mergulharam, voltando a superfície segundos depois. A vermelhidão foi substituída por uma palidez assustadora. Ela estava totalmente apavorada.
     - Você está drogado, Jake?
     - Não. - disse ele, convicto - Nunca estive mais sóbrio. 
     - Então por que fez isso?! Me molhou da cabeça aos pés! 
     - Gostei disso. - sorriu malicioso, olhando para a camiseta transparente que ela usava - Se tirar o sutiã, fica melhor. 
     - Cala a boca! 
    Ele riu. 
    - Falo sério - Monique insistiu, olhando-o incisivamente - Por que fez isso?
    - Nique, - encarou-a, sério. - se lembra quando eu te contei que quase morri uma vez? 
    - Sim. 
    - Foi aqui. Eu quase morri aqui, nesse lago. 
    Ela franziu a testa, confusa. Por que ele mergulharia justo no lugar onde quase morreu? 
    - Eu... não te contei o motivo - hesitou - Eu quase morri afogado porque me droguei dentro do lago. E apaguei. De repente, só senti a água entrando pela minha boca, pelo meu nariz. Sentia o lago me engolindo, sugando minha vida. - fez uma pausa - Isso foi logo depois do nosso acidente. Eu... queria morrer. Eu ainda me culpava por sua quase-morte. Ainda me culpo. E quero saber, se... você me perdoa. 
    Monique sentiu o rosto molhado, mas não pela água. Lágrimas. 
    - Sim, eu perdôo. Eu... - engasgou - eu te amo, Jake. 
    Enlaçou-o pelo pescoço, beijando seus lábios arrependidos e meio frios, perdidos. 
    - Me desculpe, Nique. 
    - Não tem problema, já passou... 
    Ele agarrou seu corpo molhado e apertou-a contra si. Nunca mais ia magoá-la. Nunca mais ia machucá-la. Senão, a dor o mataria também. E ele ainda era egoísta demais para isso. Egoísta, ela pensou, e completamente emotivo
    E sorriu, abraçando-o de volta.

"Yeah, when my world is falling apart
And there's no light to break up the dark
That's when I, I, I look at you
When the waves are flooding the shore and I
Can't find my way home anymore
That's when I, I, I look at you"
 - When I look at you - Miley Cyrus - 


.    .    .

Notas da autora
Quem já leu o livro A última música, de Nicholas Sparks, deve perceber que tem muito de Ronnie e Will nessa história. Eu acabei de lê-lo hoje, e me deu uma vontade de escrever uma história inspirada no livro... 
Desculpem pelo tamanho, e espero que gostem.

8 comentários:

Naty Araújo disse...

Aaaaaaahh, esse texto sim tá demais.
Acredite, não li o livro, mas só pelo seu texto já vou querer comprar pra ler.

Muito bom mesmo.

E olha... como é que vc sabia que eu ia ganhar a edição de poemas?
Nem eu sabia kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.

beijos

@Gaabis_am disse...

Nossa que lindo, essa pequena história é ótima, e transborda sentimentos!

Não li ainda A última Música, mas estou muito ansiosa, deve ser ótimo *-*

Parabéns Leti!

se puder: http://gabiiem.blogspot.com/

mila disse...

aai, seu textos são lindos demais :~

Gêsa disse...

Oi, muito bem escrito seu texto, sem contar que ficou lindo. (:

Nina Auras disse...

AAAAAAAH QUE TEXTO LINDO, LETICIA *-* Achei tão maravilhoso - claro, como tudo o que você escreve, mas... Ainda melhor, se possível. Tão sensível! Tem mesmo muito da Ronnie na Nique, mas eu achei ainda mais fofo - não sou grande fã da R.

Amei, parabéns, mereceu ganhar (:

Franciele Valadão disse...

Lindo!

M disse...

Nossa ... Por mim já ganhou.

@amandeeti_182 disse...

amei a minihistória *-* sério, eu acho que já disse que voce escreve mt bem né? HAHA oun mtmt linda mesmo ! e agora quero ler esse livro !
beeeijos :*