23 de novembro de 2010

Used to love her

- Eu nunca fui o seu problema, não é, Ben?
    Ashley insistia, sacudindo meus ombros de forma a me deixar tonto. Lágrimas corriam por suas bochechas rosadas, e a vontade de secá-las doía fisicamente. Não o fiz, simplesmente por não achar certo. Já era drama demais para nós dois. 
    - Está enganada. - disse, rispidamente - Você é meu único problema.
    Em resposta, ela apenas soluçou. 
    - Sempre você, Ashley! - fechei os olhos, contendo meu próprio choro. - Em todos os lugares, a toda hora. Sempre... 
    - Do que está falando, seu demente?! 
    - Eu.. eu... não sei, tá bom? Não faço a mínima ideia.
    Suspirei, sentando-me no chão. Pela primeira vez desde que a conhecera, senti que não podia fazer nada por ela. Nada que pudesse acalmá-la, ou mantê-la sã. Mas, estávamos ambos à beira da loucura - e quando dois loucos discutem, só fazem se machucar ainda mais. 
    Um vento frio invadiu o ginásio em que nos encontrávamos. Já era tarde da noite, por volta das onze. O ar ficou mais suave quando o obriguei a entrar em meus pulmões, mas só de ter seu corpo próximo ao meu, já me sentia sufocar. Ashley parecia passar pelo mesmo, apesar de disfarçar melhor. Sempre foi melhor atriz. 
    - Eu te amo, Ben. 
    - Eu sei. - cortei-a. - Isso é o que menos me importa agora. 
    Ela engoliu em seco, estalando o ar na garganta. 
    Uma mão invisível esmagou meu coração, enchendo-me ainda mais de culpa. 
    - Desculpe-me. 
    - Estou acostumada. - sorriu, descendo os dedos por meu cabelo desalinhado. - Como eu disse, eu te amo. 
    - Eu te amo também, Ashley. Como nunca pôde perceber?
    A incompreensão invadiu seu rosto. Ri alto, agarrando sua mão que descia por minhas costas, contornando minha coluna. Ashley era dona de um carisma assustador, e só um sorriso seu poderia me fazer admitir o que escondia de mim mesmo há um ano. Mais uma vez me senti sufocado. 
    - Não dá mais, Ash... 
    - Como? 
    Agarrei-a pelos ombros e preguei meus lábios aos dela, distraindo-a de minhas mãos, que remexiam nos bolsos de meu jeans. A peça metálica estalou sob meus dedos e saiu sem dificuldades de onde se escondia. Destravei o gatilho, ainda envolvendo-a em meus braços. Ela ofegava, arranhando meus ombros com desespero. 
    - Nossa... - suspirou - Eu... caramba! 
    Foi então que ela a viu. A arma, escondida sob minha coxa esquerda. Prendi suas mãos contra seu corpo e enfiei o cano em minha garganta, ameaçando atirar. O desespero de Ashley tornou-se palpável à medida percebia que eu podia mesmo me matar ali, na sua frente. 
    Tudo que se seguiu aconteceu em questão de segundos. Seus braços eram fortes contra o meu ombro, e prendiam-me contra o chão, com a arma ainda na mão. Meu Deus, como ela era forte! Pisava em meu pulso, impedindo-me de qualquer reação. E berrava, berrava alto! Eu queria mandar que se calasse, mas não conseguia impedi-la de salvar-me daquilo. Da minha própria desgraça! 
     - Por que fez isso? - perguntei, ao me deixar falar. 
     - Porque uma coisa é morrer de amor. 
     Ashley pisou mais forte em meu pulso, desviando um dos tiros, que acertou no teto.
     - Outra, é se matar por uma grande idiotice! 

    Lá fora, podia-se ouvir o barulho de sirenes e carros se aproximando.

"She bitched so much,
she drove me nuts
And now we're happier this way, alright"
- Used To Love Her - Guns N' Roses



~ Pauta para o Palavras Mil
~ Foto: GettyImages
~ Outro link, aqui
~ Visitem o blog: Segredos do Meu Fichário, by: Léeh

;*

9 comentários:

Raíla Guimarães disse...

Que lindo *-*
Podia virar conto, né?
Seguirei.

Fabi, disse...

Gostei muito, parabéns!

Barbara Nonato disse...

Não somente uma crônica, mas um texto que leva à reflexão... Quantos Bens e Ashleys mundo a fora, não é?
Lindo!

Anônimo disse...

esse negócio de meus direitos autorais é muito chato, fica aparecendo toda hora

Leeti disse...

Anônimo, ou é Meus direitos autorais ou Teclado desabilitado, os dois tem a mesma função, portanto... :)

Nina Auras disse...

Nossa, conto lindo Leeti! Eu sinceramente fiquei espantada quando o Ben tentou se matar. Tipo assim, CARA, TU DISSE QUE AMA ELA E AGORA QUER SE MATAR? TU TÁ INSANO? - Mas depois eu me aliviei. Ficou liiiiindo, amor, lindo demais ♥

Preguiça alheia disse...

www.preguicaalheia.blogspot.com

Parabéns pelo blog.. entra no meu e se gostar pode seguir!!

ps.: estou te seguindo!

Abraço,
P.A.
______________________________________
http://www.preguicaalheia.blogspot.com

BrilhosGifs.com disse...

Olá! Parabéns pelo seu Blog!
Já estou lhe seguindo!
Aproveitando também para divulgar os meus Sites...
Siga-me também!
Tem Sorteio de natal por lá!
http://www.martas-bgfs.com (Templates personalizados para Blogs)
http://www.brilhosgifs.com (Gifs para Orkut e enfeites para Blogs)
Abraços,
Marta.

Rah C. disse...

Meu Deus, eu fiquei tensa nessa conto. HAHA. Mas adorei. :)

Adorei aqui tbm :)
Beijos