5 de abril de 2013

Sem-fim de comparações

2 passaram por aqui

Mentira é epidemia
Sem chances de cura
É um vírus de variedades mutantes
Nenhum super-médico segura

Mentira é sopa fria
Depois de horas em cima do fogão
É o arsenal de países beligerantes
É o infarto do miocárdio da nação

Mentira são as trevas do dia
A escuridão que se abate sobre a alma
O desespero do ansioso sem seus calmantes
Desespero que sente ao se esvair sua calma

Mentira é um sem-fim de fantasia
O mundo inventado pelos enganados
Ilusão dos mentirosos delirantes
Que pensam que humanos podem ser manipulados

Mentira é pretensão em demasia
É cessar-fogo, fim de guerra
O último truque da verdade angustiante
Para se manter omissa da Terra

Mas a verdade nunca joga a toalha
Sempre surge no fim da batalha
Sempre tarda, mas jamais
- em hipótese alguma –
Falha